Aula Magna com Renata Martins – Educom 2016

RenataMartins_AulaMagna2016

A Cineasta e Educomunicadora Renata Martins esteve conosco no dia 26/02/2016 ministrando a Aula Magna “Educomunicação: Olhares, saberes e transformação”, talando sobre seus trabalhos, trajetória, sobre a ocupação de espaços midiáticos e a representação.

Deixe um comentário

por | 27 de fevereiro de 2016 · 3:15 pm

Maisa tem um recadinho para você que é novx alunx da Educom USP

Deixe um comentário

Arquivado em [ Acontece por aí... ], [ Atividades da Licenciatura em Educomunicação ]

A importância de ler/ouvir/sentir as narrativas “não oficiais”

por: Mauricio Virgulino Silva

Ontem no evento Educomunicando ( http://educomunicando.org/ ) o assunto das ocupações das escolas, ações do governo (em letras minúsculas) do estado de São Paulo sobre a “reorganização” das escolas com certeza apareceu.

Falou-se sobre Ética na relação entre Comunicação e Educação.

Os professores Paulo Nassar, Daniel Pansarelli, Gilson Schwartz e Marciel Consani falaram sobre a disputa na produção de narrativas.

Estamos imersos em uma briga por espaço nos meios de comunicação, onde narrativas contraditórias (e ás vezes sensacionalistas) são o tempo todo lançadas para ganhar adeptos que lêem superficialmente as notícias.
E normalmente a narrativa oficial ganha mais espaço por teoricamente ser mais representativa.

Daí a urgência em procurarmos ouvir/ver/sentir as narrativas “alternativas”, pois não se pode ignorar as imagens e textos publicados por alunos das escolas estaduais, por jornalistas, educadores, pais que visitam as escolas,
Não dá também para ignorar as produções feitas por alunos de outras escolas que apoiam o movimento das ocupações.

A importância de escutar as narrativas “alternativas” também se faz presente para contrapor a narrativa oficial sobre a história dos negros, das mulheres, dos indigenas, dos migrantes… etc

Infelizmente ainda a grande mídia e grande parte da população apenas lê/ouve/sente o que é dito “oficialmente”. E com isso vamos fazendo nossa história única oficial excludente.

Deixe um comentário

Arquivado em [ Atividades da Licenciatura em Educomunicação ]

Claudemir Viana no Memórias Ecanas 2015

O Prof. Dr. Claudemir Viana, docente do curso de Licenciatura em Educomunicação da ECA-USP, conta a sua história de vida e sua trajetória profissional no projeto Memórias Ecanas. Sua escolha de carreira, sua visão sobre o papel do educomunicador na sociedade e outras histórias são abordadas neste vídeo, material inspirador para todo estudante e profissional de educomunicação, e para os que desejam conhecer esta área de atuação.

O projeto Memórias Ecanas foi criado em 2006, com o objetivo de resgatar as memórias e as narrativas inspiradoras da Escola de Comunicações e Artes. Realizado pelos alunos do sexto semestre de Relações Públicas, o Memórias Ecanas já apresentou mais de 120 memórias de personagens inspiradores da ECA.

Confira o vídeo:

Curta e compartilhe em suas redes sociais!

Projeto desenvolvido pelos alunos: Catarina Vasconcelos, Edson Costa, Henrique Andrade e Victor Barcellos.

Deixe um comentário

Arquivado em [ Atividades da Licenciatura em Educomunicação ], [ Nossos vídeos ]

Será que não precisamos de Escolas?

Video produzido por alunos da EMEF Des Amorim Lima, de São Paulo, que traz a conversa com Martha Pimenta da Universidade de São Paulo, falando sobre o projeto de “Reorganização” das Escolas Estaduais de São Paulo.

Martha explica o que foi divulgado sobre este projeto do Governo do Estado de São Paulo, fala sobre a reação das pessoas, sobre as ocupações, o posicionamento de parte dos meios de comunicação, a diferença entre escolas municipais e escolas estaduais e a importância de se lutar por uma escola pública de qualidade.

Deixe um comentário

Arquivado em [ Acontece por aí... ]

Educomunicando: A Ética na interface Comunicação/Educação

Pensar a relação Comunicação/Educação exige um novo olhar, uma abertura capaz de desdobrar um diálogo renovado em torno aos sistemas educativo e comunicativo.
Já há algum tempo, constatou-se que o impacto da Comunicação e seus meios no ambiente escolar ultrapassou a mera influência indireta.
As novas mídias e tecnologias conquistaram uma posição constante, significativa e mesmo definitiva nos modos de construção da visão de mundo da última geração de jovens. Ademais, tampouco a Educação – seja ela formal, informal ou não formal – passou ilesa às mudanças das últimas décadas. Exige-se dos educadores de hoje uma nova postura em relação aos métodos, abordagens, propostas e, sobretudo, suportes em sala de aula.
Tendo isso em vista, o Educomunicando surge como espaço para o desenvolvimento de discussões que contribuam para refletir a respeito de tais tópicos emergentes. Em sua primeira edição, o Educomunicando trará o tema “A Ética na interface Comunicação/Educação”
evento final-03

Deixe um comentário

Arquivado em [ Acontece por aí... ], [ Atividades da Licenciatura em Educomunicação ]

Moção de apoio às ocupações de escolas públicas estaduais por jovens estudantes

Reunido em sessão ordinária no dia 23/11/2015, o Conselho do departamento de Comunicações e Artes da Escola de Comunicações e Artes da USP aprovou a seguinte moção de apoio às ocupações de escolas públicas estaduais por jovens estudantes.

Moção de apoio aos estudantes secundaristas de São Paulo

O ensino público e gratuito é direito Constitucional de todos os cidadãos brasileiros e dever do Estado. Tendo em vista este pressuposto, estranhamos que uma ação planejada pelo Governo do Estado de São Paulo para a reestruturação da educação resulte no fechamento de 93 escolas, na transferência incondicional de alunos e professores para outras unidades, algumas com classes já superlotadas. Se o que se busca é a qualidade do ensino e a garantia de que todos em idade escolar possam ter o direito à escola, não se pode privar a comunidade escolar da discussão democrática dos rumos da educação no estado.

Entendemos que a ocupação das escolas pelos jovens estudantes é um ato legítimo daqueles que defendem o direito à educação com qualidade e dignidade para os profissionais. O melhor caminho para a resolução do impasse é a discussão democrática com a comunidade escolar sobre os rumos da escola para os próximos anos.

– Somos contrários ao fechamento das 93 escolas no estado de São Paulo;

– Todo nosso apoio à comunidade escolar que deseja discutir democraticamente os rumos da escola.

Conselho do Departamento de Comunicações e Artes da ECA-USP.

Deixe um comentário

Arquivado em [ Acontece por aí... ]