Arquivo da categoria: [ Nossos textos ]

Impactos dos meios audiovisuais

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em [ Nossos textos ]

A constatação de Lawrence Kohlberg ÉTICA EDUCOM

Deixe um comentário

Arquivado em Epistemologia da Educomunicação, [ Atividades da Licenciatura em Educomunicação ], [ Nossos textos ]

EDUCOMUNICAÇÃO: PROFESSORES DA USP LANÇAM LIVROS

Foram lançados dois livros de Educomunicação na Livraria da Vila – Fradique Coutinho – no dia 25 de março. A primeira turma de Licenciatura em Educomunicação da USP e inúmeros interessados no tema marcaram presença no evento.

O livro Educomunicação: o conceito, o profissional, a aplicação: contribuições para a reforma do ensino médio, do professor Ismar de Oliveira Soares, da Escola de Comunicações e Artes da USP, apresenta uma síntese das pesquisas do Núcleo de Comunicação e Educação em torno do conceito de Educomunicação e propõe debate das práticas educomunicativas no contexto das políticas educacionais propostas pelo MEC.

Já o livro Educomunicação: construindo uma nova área de conhecimento, organizado pelos professores Adilson Odair Citelli e Maria Cristina Castilho Costa, da Escola de Comunicações e Artes da USP, é uma coletânea que conta com artigos de pesquisadores nacionais e internacionais do campo de Educomunicação.

A cobertura multimídia do lançamento foi realizada pelos alunos da Licenciatura em Educomunicação. Eles colheram impressões de autores e pesquisadores presentes e do público em geral.

Da Oficina de Texto: Professoras Roseli Fígaro e Cristina Mungioli

Por Glória Marcondes e Renan Soares

Turma 1 no lançamento do livro


Deixe um comentário

Arquivado em [ Nossos textos ]

Mídia e Educação com Maria Ignês e Ângelo Piovesan

Angelo e Maria Ignes, palestras Educom

A turma de Licenciatura em Educomunicação da ECA-USP recebeu, no dia 15 de abril, os professores doutores Angelo Piovesan e Maria Ignes Carlos Magno, que abordaram o tema Mídia e Educação, dando continuidade ao ciclo de palestras da disciplina Atividades Acadêmnicas, Científicas e Culturais I.

Angelo Piovesan enfatizou o papel da comunicação sob diversas perspectivas: pessoal, profissional, política. Com uma exposição envolvente, o professor criticou o uso inadequado dos meios de comunicação sobretudo quando utilizados de maneira instrumental, sem cumprirem seu objetivo social. Enfatizou o autoconhecimento como parte fundamental do processo de comunicação para que ocorra uma educação efetiva.

Maria Ignes Carlos Magno discutiu estratégias de utilização de filmes em práticas educomunicativas, buscando ressignificar tanto os conteúdos escolares quanto os conteúdos tratados na ficção. A professora propõe uma leitura crítica da obra cinematográfica propiciando ao aluno a compreensão das diversas camadas de sentido nela presentes.

Palestras no curso Licenciatura em Educomunicação

Palestras no curso Licenciatura em Educomunicação

  • Maria Ignes Carlos Magno, doutora em Ciências da Comunicação pela ECA-USP, é especialista em projetos pedagógicos que utilizam filmes em sala de aula. Colabora

    Maria Ignes

    Maria Ignes

    com a revista Comunicação e Educação na qual publica esses projetos desde 1994. Seu mais recente arquivo publicado: Entre meios e formatos: diferentes maneiras de conhecer histórias e personagens da América Latina (2010). Publicou também Revolução estética no cinema brasileiro, Reflexões em torno do pensamento de Glauber Rocha, capítulos na coletânea: Comunicação. Cinema. Audiovisual, organizada por Gelson Santana.

  • Angelo Piovesan, doutor em Tecnologia Educacional pela Indiana University (Estados Unidos), professor na Universidade de São Paulo no departamento de audiovisual na Escola de Comunicações e Artes.

    Angelo Piovesan

    Angelo Piovesan

    Piovesan possui experiência na área de Educação, com ênfase em planejamento e avaliação educacional, atuando principalmente no rádio e na televisão. Suas publicações são: Vídeo e TV na Educação; Rádio Sintonia do Futuro (artigo publicado com outros autores). Apresenta-se  em congressos internacionais tratando do tema Televisão e Educação. É pesquisador no projeto Panorama do Rádio no Brasil.

Deixe um comentário

Arquivado em [ Nossos textos ], [ Passaram por aqui ]

Baccega e Toda y Terrero defendem a Educomunicação como prática cidadã

Primeira turma do curso de Licenciatura em Educomunicação com os palestrantes Baccega e Martinez.

Professora Maria Aparecida Baccega

A primeira de uma série de palestras do curso de Licenciatura em Educomunicação da ECA/USP, realizada no dia 1º de abril de 2011, contou com a presença dos professores convidados Maria Aparecida Baccega e José Martinez de Toda y Terrero e a mediação dos professores do curso, Roseli Figaro e Ismar de Oliveira Soares.

 A professora Baccega é pesquisadora de educomunicação, fundadora da revista Comunicação e Educação. Em sua palestra falou sobre o seu foco de pesquisa no surgimento de  uma nova variável histórica. Para ela, as linguagens da comunicação, ao serem apropriadas pela educação, permitem o melhor conhecimento da totalidade social, possibilitando formar o sujeito para o exercício da cidadania. A professora entende o papel do educomunicador como um mediador desse processo de formação de cidadãos.

Professor José Martinez de Toda y Terrero

 Já o professor Martinez, autor do clássico dos anos 80, Comunicação Grupal Libertadora, em sua palestra fez um retrospecto sobre o interagir da comunicação com a educação na América Latina. Ele destacou o papel dos movimentos populares em torno de uma comunicação libertadora. Lembrou o papel de Paulo Freire no Brasil e no Mundo, auxiliando na área da comunicação. Perguntado sobre o uso das mídias na América Latina nos anos 70 e 80, o professor Martinez criticou a influência dos meios massivos, pois não abriam espaço para a participação popular. Na atualidade, o professor destaca que o uso da internet supera o dos meios tradicionais.

 No final da palestra, os alunos do curso de Licenciatura em Educomunicação fizeram perguntas aos convidados.

Mauricio Silva pergunta sobre a possibilidade de surgirem outros cursos de Educomunicação nos demais países da América Latina.

Leandro pergunta para a professora Baccega se haverá resistência à ação educomunicativa na mídia e como enfrentá-la.

Deixe um comentário

Arquivado em [ Nossos textos ], [ Passaram por aqui ]