Arquivo da tag: educomunicador

Semana Educom 2016 – Representatividade e Protagonismo

semanaeducom_prog

 

As(os) estudantes da Licenciatura em Educomunicação da ECA-USP te convidam para participar de 4 lindas noites de atividades na 3ª Semana de Educom.

Dentro da temática “Representatividade e Protagonismo” a cada noite receberemos diferentes convidadas(os), oficinas e palestras. Tudo isso aberto para quem quiser participar.

1º DIA 21/11 – Encontro LABIDECOM – 19h30

2º DIA 22/11 – Tem Educomunicação nas escolas ocupadas? – 19h30

3º DIA 23/11 – Gênero e Sexualidade na escola – 19h30

4º DIA 24/11 – Olhares educomunicativos sobre o cinema negro brasileiro – 19h30

 

+ informações em: https://www.facebook.com/events/194114111041272/

E sempre bom lembrar: Educom é amor e luta.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em [ Atividades da Licenciatura em Educomunicação ]

Semana Educom – 24/11 – Encontro Labidecom

semanaeducom_dia1

O LABIDECOM no decorrer do ano realizou três encontros para promover a troca entre estudantes de educomunicação sobre a prática educomunicativa. Na Semana de Educom teremos um LABIDECOM especial que irá contar com relatos e discussões acerca do mercado de trabalho e atuação do profissional de educomunicação. Tanto para os educomunicadores, quanto para os interessados no curso. Será um ótimo momento para trocar perspectivas e quem sabe chegar perto da resposta: “educom faz o que?!”

 

Acompanhe mais informações em:

https://www.facebook.com/events/194114111041272/?active_tab=discussion

 

Deixe um comentário

Arquivado em [ Atividades da Licenciatura em Educomunicação ]

A Semana Educom 2016 está chegando!

banner_semanaeducom_2016

Os alunos da Licenciatura em Educomunicação da ECA-USP querem convidar você para participar de 4 lindas noites de atividades na 3ª Semana de Educom.

Dentro da temática “Representatividade e Protagonismo” a cada noite receberemos diferentes convidados, oficinas e palestras. Tudo isso aberto para quem quiser participar.

A divulgação das atividades de cada dia será feita ao longo dos próximos dias, fiquem ligados aqui no evento e na página.

https://www.facebook.com/events/194114111041272/

A Semana Educom 2016 está chegando :)

E sempre bom lembrar: Educom é amor e luta.

 

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em [ Atividades da Licenciatura em Educomunicação ]

Memórias Ecanas: Ferdinando Martins

Deixe um comentário

Arquivado em [ Nossos vídeos ]

Educomunicadores: Marcelo Santos e a TV Cedro Rosana

Quando fui chamado a trabalhar o uso de vídeo em projetos de aprendizagem, num curso para professores de Ensino Fundamental no município de Americana / SP (Curso de Formação em Educação Ambiental e Políticas Públicas), pensei na grande experiência queMarcelo Augusto Pereira dos Santos possui e ele aceitou o convite para participar de uma das aulas.

Marcelo começou a se aproximar da educomunicação quando se tornou POIE (Orientador de Informática Educativa) nas EMEIS (escolas de educação infantil) Eunice dos Santos e Antonio Munhoz Bonilha. Manteve o blog https://apertaqual.wordpress.com/ com relatos de aulas e dicas de atividades. A partir das experiências como POIE, criou  o site Apertaqual Educação, concretizando seu antigo sonho de compartilhar softwares educativos que desenvolveu (ApertaLetra, ApertaQuem, ApertaEmpresta).

Na escola Bonilha ele ajudou a professora Ana Paula Escudeiro no projeto Rádio Jacaré FM (ver post anterior nesta série Educomunicadores). Inspirado nesta experiência e na Rádio Graciosa, da EMEF Fernando Gracioso, projeto do Programa Nas Ondas do Rádio, desenvolveu na escola Eunice o projeto TV Cedro Rosa em que grupos de alunos com menos de 6 anos produziam reportagens – documentários sobre locais interessantes para serem visitados pelas crianças, seja com a escola, seja acompanhados por seus pais. Um dos grandes feitos de uma destas equipes (eram várias) foi entrevistar o mestre de xadrez Kasparov. O vídeo final do projeto é um resumo bem interessante, que da uma ideia de como funcionava a proposta e o quanto era realmente educomunicativa.

O interesse de Marcelo pelo conceito educomunicação o levou a estudar o tema, sendo aluno da primeira turma oficial de Especialização Lato Sensu em Educomunicação na ECA / USP. Como trabalho final neste curso, ele pesquisou as experiências de educomunicação desenvolvidas em escolas infantis da Prefeitura de São Paulo. Sua monografia, Cuidar, Educar e Comunicar https://tvcedrorosa.wordpress.com/pesquisa/ foi defendida dia 05/07/2013 lhe conferindo o título de Especialista em Educomunicação.

Quando escrevi esse pequeno artigo Marcelo estava como Coordenador de Ação Educacional no CEU Parque Anhanguera, hoje não mais funcionário direto da Prefeitura de São Paulo está atuando como tutor presencial da UNICEU Parque Anhanguera e formador de professores em escolas particulares, sempre buscando ampliar a presença da educomunicação nas várias redes educacionais.

Brinquedoteca USP from TV Cedro Rosa on Vimeo.

PROJETOS DE EDUCOMUNICAÇÃO INFANTIL PESQUISADOS POR MARCELO SANTOS

Rádio Jacaré FM

Tem Gato na Tuba

Pingo de Gente

Os Pequenos Nos Curtas

Jornal Mural no CEI

Rádio Blog EMEI Kids

Recomendo muito que os colegas acessem a pesquisa na íntegra, disponível no link

https://tvcedrorosa.wordpress.com/pesquisa/

Neste site também esta disponível um artigo resumido e entrevistas feitas por Marcelo com Carlos Lima, coordenador do Programa Nas Ondas do Rádio, e prof. Ismar de Oliveira Soares, coordenador do Núcleo de Comunicação eEducação, da ECA-USP e presidente da ABPEducom

E no livro Narrativas de Experiencias Docentes também há um artigo de Marcelo relatando o Projeto Cedro Rosa:

http://editora.metodista.br/livros-gratis/narrativas.pdf/at_download/file

Deixe um comentário

Arquivado em Educomunicadores

Educomunicadores: Janusz Korczak, defensor das crianças e mártir da educomunicação

Janusz Korczak

Janusz Korczak (1878-1942), polonês de origem judaica, médico, especialista em pediatria, escritor e professor. Descrito como um pioneiro do Jornal Escolar,  ao lado de Célestin Freinet.

“Tanto Freinet quanto Korczak apostaram no jornal impresso como aliado indispensável no processo educacional. Ambos colocaram em prática seus métodos de trabalho na Europa do início do século XX, a partir da insatisfação com o sistema formal de ensino — considerado arcaico e cerceador da liberdade por ambos. Freinet e Korczak percebiam que as crianças e os adolescentes tinham necessidade de expressar suas idéias, e quando o faziam apresentavam considerável melhora no rendimento escolar. A introdução do jornal impresso no âmbito das salas de aula foi a solução encontrada para dar vazão à criatividade dos alunos. E os resultados mostraram o acerto da decisão” (Sobreiro)

Batizado Henryk Goldszmit, adotou o nome Janusz Korczak por causa de um romance polonês lido na adolescência, pseudônimo que usou primeiro para assinar obras literárias. Em 1910 fundou o orfanato Dom Sierot (A Casa dos Órfãos) na Varsóvia. Após a 1ª Guerra Mundial transformou o espaço do orfanato numa república, onde as crianças tomavam todas as decisões coletivamente. Ferramentas como Código Moral, Conselho Jurídico,  Cooperativa, Poupança, Empréstimo, Tribunal e o Jornal  Impresso, com textos produzidos por eles mesmos, eram utilizadas pelos alunos na organização de suas atividades. A repercussão foi tão positiva que uma revista local (Nasz Przegrad – Nossa Revista) produziu uma edição infantil organizada por Korczak que recebia contribuições de crianças de toda a Polônia. Detalhe: As colaborações eram remuneradas. Korczak também tinha um programa de rádio, “O velho doutor conversa com vocês”, educativo e bem humorado.

O respeito pelos direitos da criança e a busca por uma educação promotora da autonomia do estudante foram constantes em sua atuação profissional e divulgados em sua obra literária, onde se destaca o romance Quando eu voltar a ser criança.

Na obra Como amar uma criança. (original de 1915, publicado no Brasil pela Paz e Terra, 1997) Korczak disse que “Os cursos de jornalismo pedagógico poderão talvez, num futuro próximo, ser inseridos no programa de ensino nas escolas para professores”. O que ele chama de jornalismo pedagógico é essencialmente uma das áreas de intervenção da Educomunicação.

Além de pioneiro do que podemos chamar de educomunicador, Janusz também pode ser considerado mártir da Educomunicação. Mesmo tendo a chance de fugir, preferiu acompanhar as crianças do orfanato e foi com elas assassinado durante a 2ª Guerra Mundial. Esta história é contada no filme As 200 crianças do Dr. Korczak (1990) de  Andrzej Wajda.

Os exemplos de Janusz mostram a Educação como uma opção ética radical e a Gestão Democrática e a Comunicação como partes essenciais do processo de aprendizagem.

Deixe um comentário

Arquivado em Educomunicadores

Educomunicadores: Paulo Lima e a revista Viração

Eric Silva, Rappin`Hood, Isabelli Gonçalves e Paulo Lima na Primeira reunião com o UNICEF sobre o projeto Plataforma dos Centros Urbanos, 2007.

Eric Silva, Rappin’ Hood, Isabelli Gonçalves e Paulo Lima na primeira reunião com o UNICEF sobre o projeto Plataforma dos Centros Urbanos, 2007.

Vicente de Paulo Pereira Lima, cearense, jornalista, empreendedor social e “sonhalista“, como ele se define (veja vídeo no final deste post) é praticamente modelo do que chamaria de o educomunicador contemporâneo.

Desde a adolescência envolvido com comunicação alternativa e a luta para melhorar o mundo, estudou comunicação e como jornalista foi sempre um ativista, ganhando em 2002 o prêmio Jornalista Amigo da Criança (veja o porquê no vídeo citado).

Logo em seguida, já em São Paulo, criou com parceiros a Revista Viração, com a proposta de ser um espaço para adolescentes de todo o Brasil escreverem e publicarem com sua própria linguagem para outros adolescentes e quem mais quiser ou precisar ler. Tive o prazer de visitar algumas vezes a redação da revista em São Paulo e considero o espaço onde melhor o conceito educomunicação é utilizado no auto-gerenciamento de um grupo com uma proposta de diálogo com a sociedade, buscando sempre promover a transformação positiva.

Atualmente, Paulo Lima mora na Itália e lá também desenvolve projetos junto com a UNESCO, mas continua sendo diretor executivo da revista e sempre visita o Brasil.

Na página abaixo, retirada da edição 94 da revista, o próprio Paulo Lima conta um pouco da história da revista.

vale 10, por Paulo Lima

A linda animação abaixo foi feita inspirada na história de Paulo Lima:

Deixe um comentário

Arquivado em Educomunicadores